(Publicado originalmente em O examinador de Washington)

Eoito anos atrás, esta semana, cinco juízes da Suprema Corte redefiniram o casamento para todo o país em nome da “igualdade”. Lembre-se daqueles onipresentes adesivos azuis e amarelos “=”? Aqueles que hesitavam em abandonar a definição tradicional de casamento foram informados de que a abertura da instituição era quase casais do mesmo sexo que desejam visitar um ao outro no hospital, têm acesso às mesmas leis de herança e obtêm os mesmos incentivos fiscais que os heterossexuais. A impressão era de que ninguém mais seria afetado por essa redefinição radical do casamento.

Mas quanto muitos de nós previmos, o casamento gay de fato afetou outra pessoa. E embora você provavelmente já tenha ouvido falar do impacto Obergefell teve sobre padeiros e floristas religiosos, as maiores vítimas da igualdade no casamento são as crianças que foram submetidas à desigualdade. Como todos os outros países que tornou maridos e esposas opcionais no casamento, pais e mães estão rapidamente se tornando opcionais na paternidade. A igualdade no casamento, nesse sentido, fez com que, para que os adultos fossem verdadeiramente iguais, os filhos precisassem perder a mãe ou o pai.

gigante pró-aborto NARAL deixou claro que as crianças devem sacrificar seus direitos reais a serviço do “direito” de menos de uma década de casar:

Considere esta afirmação. “Para aumentar nossas famílias contudo e sempre que we queremos. Porque…igualdade(Grifo nosso).

Em nome de aumentar as famílias de acordo com os desejos dos adultos, NARAL tem violado o direito das crianças à vida por mais de meio século através de seu apoio ao aborto irrestrito.

Agora, como resultado disso Obergefell, aumentar as famílias de acordo com as necessidades dos adultos também significa violar o direito das crianças à mãe ou ao pai. Os adultos não podem ser iguais se não puderem constituir famílias “como” quiserem, segundo a NARAL. E para os casais do mesmo sexo, isso significa criar famílias em que sempre faltará uma mãe ou um pai.

Este não é um novo desenvolvimento. O apagamento da mãe ou do pai de uma criança ocorreu logo após Obergefell e assumiu várias formas. Decisões judiciais determinaram falsificação de certidão de nascimento sancionada pelo estado que insiste que as crianças têm “duas mães”, apagando legalmente a identidade do pai de uma criança desde os primeiros momentos.

Projetos de lei como o Uniform Parentage Act, que considerou o uso da palavra “mãe” e “pai” como inconstitucional , são outro exemplo.

O apoio do ex-governador de Nova York, Andrew Cuomo, barriga de aluguel comercial, que sempre nega crianças uma, duas ou três de suas mães, estava a serviço da “justiça e igualdade” para os “LGBTQ+ nova-iorquinos”.

Rep. Adam Schiff (D-CA) tentou mandato subsidiado pelo governo filhos que sempre seriam criados em um lar sem mãe ou sem pai.

E a Califórnia está debatendo Senado Bill 729, que pode exigir cobertura de seguro de terceiros, esperma, óvulo, útero ou embrião de outra pessoa, cortando assim as crianças de um ou de ambos os pais biológicos. Estado do co-autor do projeto de lei Senadora Caroline Menjivar, um democrata, observou que esta legislação “é fundamental para alcançar a igualdade plena para as pessoas LGBTQ+”.

Pessoas de coração aberto compraram o argumento da igualdade, acreditando que talvez o governo devesse “sair dos quartos das pessoas”. Mas como mais perturbador cenários de casais gays customizando bebês criados em laboratório, lésbicas processam clínicas de fertilização in vitro por implantar a criança errada, e “grupos poli gays”Criar filhos encontra seu caminho em nossos feeds de notícias, algumas pessoas parecem estar reconsiderando sua postura. Um recente Gallup observou que, pela primeira vez em décadas, o apoio à moralidade das relações entre pessoas do mesmo sexo caiu para 64%, ante 71%.

Para citar outro adesivo esquerdista popular, agora é óbvio que a igualdade para adultos na forma de casamento gay e direito das crianças à mãe e ao pai não pode “COEXISTIR”. E parece que o público em geral está começando a notar.